Saúde

Pulgas? Carrapatos? Vacinas? Por onde começo?

Temos que cuidar da saúde do nosso pequeno Yorkshire, para tanto devemos seguir sempre a orientação do veterinário.

Existem alguns agentes que podem deixar nosso Yorkshire doente, os que conseguimos ver e outros microscópicos.

Parasitas externos

Pulgas, são pequenos insetos. Existem centenas de espécies de pulgas, sendo que só algumas são parasitas do cão.

A pulga irá alimentar-se do sangue do Yorkshire. Existem várias doenças provocadas pela picada da pulga, para além da coceira que provocam, os cães estão sujeitos a terem uma reação alérgica a essa picada, provocando-lhe queda de pêlo, prurido intenso e feridas devido a coceira intensa. As pulgas podem também ser agentes transmissores de vários agentes patogênicos e parasitas.


Carrapatos, são animais da classe dos aracnídeos, de cor geralmente vermelho-acastanhada ou preto de corpo achatado.

Tal como as pulgas, as espécies de carrapatos que são parasitas dos cães alimentam-se do sangue deste, e para além do incômodo que elas provocam no animal, os carrapatos podem transmitir doenças como a Babesiose e a Erlichiose (a febre do carrapato).

Para evitar que seu Yorkshire seja alvo desses pequenos animais, existem vários tipos de antiparasitarios. Falaremos apenas dos mais comuns e dos que já usamos e sabemos da eficácia.

1- As Pipetas: geralmente são aplicadas na nuca do cachorro e podem ser eficazes na prevenção contra carrapatos e pulgas. Indicada para cães que vivem em ambientes onde tenha pouco perigo de re-infestação, pois sua eficácia é apenas como forma preventiva. Normalmente prometem manter este tipo de parasitas à distância por até um mês. Como existem a venda uma grande variedade de marcas, verifique com muito cuidado a marca que você irá escolher. Leia bem o rótulo da embalagem e verifique com seu veterinário antes da aplicação.

2- As Coleiras que repelem os carrapatos e pulgas podem ser uma forma adicional de prevenir esses parasitas e podem ser associadas a outros tratamentos, geralmente se você tiver mais de um cachorro este tratamento pode não ser recomendado, pois durante as brincadeiras, eles podem acabar mordendo um a coleira do outro e como trata-se de veneno isso pode gerar problemas. O colar fica em contato com a pele do seu cachorro, liberando o produto na pele do cão. Pode ser um tratamento interessante e algumas destas coleiras previnem mais de um tipo de parasita. Se você optar por este tipo de preventivo, verifique que caibam dois dedos entre o colar e o pescoço de seu cachorro e corte o restante do colar para evitar que o cão mastigue. Fique atento se ele não desenvolve algum tipo de alergia ao produto do colar paraticida, vermelhidão e coceiras, são os sinais mais visíveis. Leia sempre os rótulos de todos os produtos que for comprar para seu cachorro com muita atenção.

3- SprayOutra aplicação tópica de paraticidas, é o famoso fipronil spray, ele age no sistema nervoso central destas pragas, matando-as imediatamente após o contato com o pelo ou pele dos cães e pode ser utilizado sem perigo em fêmeas prenhas ou gestantes e em filhotes jovens. O fipronil ainda fornece proteção para algo em torno de um mês contra carrapatos. Estes Sprays são muito bons e podem ser usados para matar carrapatos em regiões endêmicas onde os carrapatos são mais predominantes, o único problema deste produto é o alto custo.

Agora se seu york já está infestado desses parasitas, deve dar aquele banho e tirar todos os parasitas, seja pulgas ou carrapatos, o vinagre ajuda a eliminar esses bichinhos (diluir em partes iguais de água e vinagre de maçã).

Outra receita fazer um shampoo caseiro, para isso você vai precisar de 50ml de sabonete liquido neutro, 5 gotas de óleo de Lavanda , 12ml de glicerina líquida, 50 ml de vinagre de maçã e 100ml de chá de alecrim, misture todos os ingredientes em um frasco adequado e faça um teste em uma parte pequena do corpo do seu York para ver se não causará alergia. Se não ficar vermelho, pode lavar o seu cãozinho que essa receita irá ajudar a eliminar todos os parasitas. Após escove o bem para se certificar que não sobrou nenhum.

Depois é só usar um dos repelentes indicados para prevenir nova infestação.

Devemos sempre escovar e limpar nosso yorkshire, assim a qualquer bichinho que aparecer já será prontamente eliminado.

Parasitas internos

Estes parasitas afetam normalmente o esofago, estômago e intestinos grosso e delgado, havendo parasitas específicos para cada zona do tubo digestivo, existindo vários gêneros e espécies, como as tênias e as lombrigas, os vulgarmente conhecidos por “vermes”.

Alguns dos sintomas de que o cão tem parasitas internos são: vômitos, diarreia (nos quais muitas vezes são visíveis os parasitas), emagrecimento (por exemplo no caso dos cachorros pode-se verificar um certo inchaço na zona abdominal e anemia).

Estes parasitas podem ser transmitidos através da ingestão dos seus ovos (encontrados na água, comida, etc), transmitidos pela mãe aos cachorros ou através de hospedeiros intermediários, como as pulgas.

Prevenção e Tratamento

A melhor maneira de evitar que o seu cão tenha parasitas tanto externos como internos é prevenção. Visto que eles podem apanhá-los em qualquer local, em passeios ou em contato com outros animais. Convém não só utilizar produtos específicos para endo e ecto parasitas como também manter o local onde o cão habita em boas condições de higiene.

Quanto às desparasitações internas, SEMPRE tem que serem orientadas pelo veterinário. Usualmente são administrados comprimidos, num plano de 4 em 4 ou de 6 em 6 meses. Seu York pode ser desparasitado a partir das 2 semanas e depois uma vez por mês, até completar 6 meses.

Vacinação

No que diz respeito à saúde do seu Yorkshire devemos ter sempre em mente que mais vale prevenir do que remediar, portanto vacine o seu cão para prevenir o aparecimento de doenças cujo tratamento sai sempre muito mais dispendioso quando comparado com o preço das vacinas.

Lembre-se as doenças contra as quais as vacinas protegem são muitas vezes fatais para o seu animal e inclusive algumas são transmissíveis ao homem. Todos os cachorros devem ser vacinados o mais cedo possível após as oito semanas de idade variando o plano de vacinação consoante a situação epidemiológica das várias doenças em cada zona geográfica. 


Para aumentar a eficiência da resposta imunológica, os cães só devem ser vacinados se estiverem em boas condições de saúde, isso é verificado pelo veterinário através de um exame minucioso ao cão.


Os cães são normalmente vacinados contra a raiva (vacinação obrigatória por lei), hepatite contagiosa, parvovirose, parainfluenza, leptospirose, tosse do canil e babesiose; as vacinas que protegem destas doenças são dadas em doses das 6 a 8 semanas, 12 e 16 semanas de idade, com exceção da vacina da raiva que é administrada entre os 3 e os 6 meses de idade, depois só se tem de fazer um reforço anual.

Após as vacinas, durante um período de 10 a 15 dias, deve evitar submeter o cão a esforços físicos e banhos, assim como se deve evitar que ele entre em contato com ambientes contaminados.


Depois de administrar as vacinas, os cães podem ter reações ligeiras e curtas que se traduzem por febre ligeira, dores musculares e sonolência. Raramente ocorrem reações mais fortes cujos efeitos secundários se traduzem por um inchaço no rosto, erupções cutâneas e vômitos, caso isto aconteça deve dirigir-se imediatamente com o cão ao veterinário.

IDADE

VACINA

O QUE PREVINE

6 a 8 semanas

V8 ou V10

Cinomose, Hepatite Infecciosa canina, Adenovirus Canino tipo 2, Coronavirus canino, Parainfluenza Canina, Parvovírus Canino, Leptospirose

12 semanas

V8 ou V10

Dose de reforço

16 semanas

V8 ou V10

Última dose de reforço

Anti rábica

raiva

Depois do primeiro ano, o Animal é vacinado anualmente com uma dose de cada vacina V8 ou V10, anti rábica.

Atenção, todas as informações contidas neste artigo, foram pesquisadas, mas serve somente como guia ou esclarecimento, SEMPRE a melhor escolha será feita por um veterinário.

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.