Alimentação

Ração? Comida Crua? Comida caseira?

 

Quando o assunto é alimentação, toda atenção deve se voltar para a idade do cão e qualidade da comida.

Não devemos dar restos de comida para nosso cão, por uma razão bem simples, a nossa comida tem temperos que não devem fazer parte da dieta do yorkshire, ex. Sal, alho, cebola entre outros.

Cada york tem um tipo de necessidade apropriada, e para isso algumas perguntas devem ser respondidas:

1- Meu york é filhote, adulto ou maduro (idoso)?

2- Ele está saudável ou no momento está com alguma doença ou necessidade nutricional especial?

3- Ele tem alergia de algum tipo?

4- Que tipo de alimentação eu desejo dar: ração comercial, comida crua ou comida cozida?

Depois de respondidas todas essas questões, vamos a nossa escolha:

Ração comercial 

Existem várias marcas muito consagradas no mercado, Royal Canin, Pedigree, Advance, etc..

Melhor escolha é a que o seu veterinário recomendar, sempre.

Ainda nesta escolha deve sempre levar em conta o peso e idade do animal.

As marcas mais consagradas tem a quantidade de vitaminas, ômegas, sais minerais nas quantidades apropriadas a cada raça.

Muito importante no Yorkshire é dividir a ração em 4 porções, manhã, almoço, tarde e noite. Os Yorkshires tem a tendência de comer rápido e depois ficar regurgitando ou com tosse e engasgos, uma maneira bem simples é dividir a porção de comida. Se persisitir algum desses sintomas, leve o ao veterinário.

Aprenda a ler o rótulo da embalagem, lá você vai encontrar quais são as vitaminas, sais minerais, ácidos graxos essenciais e as quantidades necessárias para poder fazer a melhor escolha entre as marcas do mercado.

Se optar por comida crua, lembre se que nem tudo o que comemos nosso pequeno York pode comer. Essa dieta a base de vegetais, legumes e carne crua é conhecida como BARF (Biologically Appropriated Raw Food) Comida Crua Biologicamente Apropriada.

Nesta dieta existem prós e contras, os prós é ser saudável, natural e muitos indicam que é a dieta que o nosso animal comeria se estivesse sozinho na natureza. Deixa os músculos e ossos fortes, a pelagem bonita, mas como contra e muito perigoso é a contaminação por bactérias como Salmonella e E.coli

Caso você se interesse neste tipo de alimentação procure conhecer algum criador ou amigo que alimente seus cães com este tipo de dieta. Lembre-se que toda mudança de dieta deve ter acompanhamento veterinário, pois os alimentos devem ser dados em proporções balanceadas e equilibradas.

Se optar por comida caseira cozida é preciso se preparar para cozinhar para o seu cão. Esta alimentação costuma se basear em carnes (frango, peru, peixe, cordeiro), alguns grãos, legumes e vegetais, sempre sem tempero. Muitos cães com problemas de pele e alergias melhoraram após adesão a este tipo de dieta.

Assim como a dieta crua, é imprescindível que este tipo de alimentação tenha orientação de um veterinário, para que não ocorram deficiências nutricionais no animal. Muitos alimentos de consumo humano são tóxicos aos animais, o que torna ainda mais importante a pesquisa e a orientação de um profissional qualificado antes de trocar a dieta.

Esta entrada foi publicada em Blog. Adicione o link permanente aos seus favoritos.